Ministro da Saúde anuncia aumento de 50% nas verbas para Baixada Santista

Squassoni, Palácio do PlanaltoEm reunião na noite desta quarta-feira (12), o ministro da Saúde Ricardo Barros anunciou o esperado reforço no financiamento de serviços de média e alta complexidade da Baixada Santista. Os nove municípios da Região Metropolitana, que atualmente recebem R$ 20 milhões mensais, passarão a receber R$ 30 milhões. Por ano, o reforço chegará a R$ 120 milhões.

O anúncio é resultado de movimento iniciado pelo prefeito de Praia Grande e presidente do Condesb – Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista, Alberto Mourão, junto com o deputado Marcelo Squassoni (PRB-SP). Antes do ministro Ricardo Barros, a comitiva com prefeitos, deputados federais e estaduais e vereadores foi recepcionada no Palácio do Planalto pelo presidente da República, Michel Temer.

Os representantes apresentaram os problemas e questionaram as verbas insuficientes para manter o atendimento SUS na Região. Ao anunciar o aumento do financiamento de serviços, o ministro afirmou que caberá aos próprios prefeitos e lideranças políticas da Baixada Santista definir os serviços e os hospitais e unidades que receberão os aportes de verbas federais.

“É uma substancial vitória da Baixada Santista, que mostra com clareza a importância de se eleger representantes da Região. Foi um esforço suprapartidário de lideranças legitimamente eleitas pelo povo, que, unidas, se fizeram ouvir”, salienta o deputado Marcelo Squassoni, lembrando que em período recente o subfinanciamento levou ao colapso hospitais públicos nas cidades de Peruíbe, Mongaguá e Cubatão, sobrecarregando ainda mais outras unidades mais bem estruturadas da região metropolitana.

Para Mourão, é hora de sentar e definir as prioridades da Região. Segundo o presidente do Condesb, o ideal é que os hospitais da Região dividam responsabilidades, desafogando unidades que já foram referência regional, mas hoje estão sobrecarregadas e perderam importância, caso do Hospital Guilherme Álvaro, estadual. “Cardiologia, leitos de UTI e Oncologia certamente serão serviços que deveremos contemplar nesse novo teto que o Ministério acaba de definir para a Região”, cita.

Ambulâncias e UPAs
Além do aumento do financiamento de serviços, Barros destacou que a Baixada Santista será contemplada com 12 novas ambulâncias, que substituirão veículos com mais de 5 anos de uso, e duas novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 horas, estas nas cidades de Santos e Guarujá.

Comitiva
Além de Marcelo Squassoni e Alberto Mourão, a comitiva da Baixada Santista em Brasília contou ainda com os prefeitos de Guarujá, Valter Suman (PSB); de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB); de São Vicente, Pedro Gouvêa (PMDB); de Peruíbe, Luiz Maurício (PSDB); de Bertioga, Caio Matheus (PSDB), dos vice-prefeitos de Cubatão, Pedro de Sá (PTB); de Mongaguá, Marcio Cabeça (PSDB); de Itanhaém, Tiago Cervantes (PSDB); dos deputados federais Beto Mansur (PRB) e João Paulo Papa (PSDB); dos deputados estaduais Cássio Navarro (PMDB) e Caio França (PSB); dos presidentes das Câmaras Municipais de Santos, Adilson Junior (PTB); de Praia Grande, Cadu Barbosa (PTB); de Bertioga, Ney Lyra (PSDB), além da vereadora e ex-prefeita de Santos Telma de Souza (PT) e secretários municipais de Saúde.

Texto: Assessoria de Comunicação do deputado Marcelo Squassoni
Foto: Douglas Gomes

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *