Requerimento de Squassoni faz Anvisa liberar remédio inédito para atrofia muscular espinhal

Deputado SquassoniDuas semanas após o deputado Marcelo Squassoni (PRB) fazer pronunciamento no Plenário da Câmara Federal e se reunir com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para solicitar máxima urgência para a liberação do medicamento Spinraza no Brasil, indicado para o tratamento de pacientes acometidos pela doença Atrofia Muscular Cerebral (AME), a Anvisa informou nesta sexta-feira (25) que concederá o registro ao medicamento. A decisão será publicada nesta segunda-feira (28) no Diário Oficial da União.

O Spinraza é a única esperança para os pacientes diagnosticados com a AME, doença degenerativa que ataca o sistema nervoso até o ponto de o paciente não conseguir ao menos se mover ou respirar. A patologia atinge um em cada dez mil bebês nascidos e, até agora, não possuía opções terapêuticas disponíveis no Brasil.

Em seu discurso em Plenário, Squassoni chamou a atenção das autoridades para o caso da menina Maya, de 6 meses, do Guarujá, que sofre da doença e que precisa do medicamento como possibilidade real de melhora em seu quadro clínico. Por não ser autorizado no Brasil até então, o custo do remédio Spinraza é elevado, podendo chegar a R$ 3 milhões, valor referente apenas ao primeiro ano de tratamento.

Em seguida, o parlamentar se reuniu com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros, para solicitar a liberação do medicamento, que já é utilizado em países como os Estados Unidos, Canadá, Europa e Japão mas que ainda aguardava aprovação da Anvisa para ser comercializado no país.

“Essa luta não é só minha, é de milhares de brasileiros que lutaram e se mobilizaram. Estou muito feliz em fazer parte dessa corrente e ter podido ajudar para chegarmos a essa maravilhosa notícia. Assim como a menina Maya, tenho certeza que a maior facilidade de acesso ao medicamento trará esperança para tantas outras famílias de crianças acometidas pela doença que aguardavam a liberação do remédio”, frisou Squassoni.

Registro
O registro do Spinraza foi concedido em prazo recorde no Brasil, em cinco meses desde sua solicitação junto à Agência, menos tempo do que levou o processo no Canadá, por exemplo, onde o registro do medicamento saiu após cerca de seis meses. O nusinersen (substância que atende pelo nome comercial de Spinraza) será vendido na forma farmacêutica solução injetável e concentração de 2,4 mg/mL. A detentora do registro do medicamento no país é a empresa Biogen Brasil Produtos Farmacêuticos Ltda.

Texto: Assessoria de Comunicação do Gabinete do Deputado Marcelo Squassoni
Foto: Douglas Gomes

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *