Gravidez na adolescência: Bulhões cobra políticas públicas para conscientização de jovens

PRB (B) 2017_03_07-464O deputado Antonio Bulhões (PRB-SP) alertou para os resultados do relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), divulgado no final de fevereiro deste ano. Segundo o estudo, a relação é de 68,4 grávidas para cada mil brasileiras entre 15 e 19 anos.

“A gravidez de adolescentes, distorção típica de sociedades fragilizadas, compromete o futuro e faz com que se perpetue pelas crianças assim nascidas, o mesmo ciclo cruel de desamparo”, disse ele.

O relatório referente aos anos de 2010 a 2015 alerta, ainda, para o fato de que a gravidez precoce seja uma das principais causas da morte entre adolescentes e jovens de 15 a 24 anos na região das Américas. Em termos globais, o risco de morte materna se duplica entre mães com menos de 15 anos, em países de baixa e média renda.

O parlamentar relembra que não se pode descuidar da vertente educacional. “Ao lado dos pais, a escola tem papel fundamental de orientar os jovens com base em informação, sem qualquer ranço de puritanismo”.

Sob o ponto de vista legal, Bulhões acrescentou: “Ao legislador – e isso nos diz respeito diretamente – cabe debater e aprovar medidas mais severas, no sentido de reverter esse quadro terrível. O relatório das ONGs sugere, inclusive, que se proíba o casamento infantil e as uniões precoces antes dos dezoito anos”, finalizou.

Texto Fernanda Cunha – Ascom da Liderança do PRB
Foto: Douglas Gomes

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.