Crise política na Nicarágua é tema de reunião na CREDN

eaa71f28-e22c-4b9b-aefa-03b269e0e6df (1)Brasília – A crise política na Nicarágua foi discutida nesta terça-feira, 19, na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN) da Câmara dos Deputados, a pedido da embaixadora Lorena Martínez. Participaram do encontro o presidente da CREDN, deputado Nilson Pinto (PSDB-PA) e o presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil – Países da América Central, deputado Vinicius Carvalho (PRB-SP).

“A Embaixadora nos propiciou muitas informações acerca do momento difícil por que passa aquele país desde abril, quando protestos contra a Reforma da Previdência foram organizados. Lamentamos pelo povo nicaraguense e exortamos a que as partes se sentem à mesa, pois o diálogo deve ser o principal caminho para a construção de uma solução pacífica”, afirmou Nilson Pinto.

De acordo com Lorena Martínez, “apesar de o governo ter retirado a proposta de reforma, os protestos não cessaram. Trata-se de um movimento político que busca apenas a derrubada do presidente Daniel Ortega”, observou. Ela afirmou ainda que há muitas notícias falsas circulando com o mesmo objetivo.

“O governo não está matando o seu povo”, assegurou. Na oportunidade, Martínez entregou dois documentos aos parlamentares com detalhes acerca dos passos adotados pelo governo para pôr fim à crise. “O encontro da solução deve dar-se entre os nicaraguenses e o nosso papel é o de contribuir, sempre que chamados a opinar, para que haja diálogo permanente”, explicou o presidente da CREDN.

Para Vinicius Carvalho, “os atos de violência são lamentáveis e nós, deputados, estamos à disposição das partes para colaborar com as negociações que tenham como objetivo, o cesse das hostilidades e a conformação de uma agenda em prol do país. Torcemos para que em breve, possamos discutir como ampliarmos as relações e o comércio”, assinalou.

Texto:  Marcelo Rech

Foto: Assessoria do deputado Vinícius Carvalho 

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.