Rosangela Gomes defende priorização de ações pelo fim da violência contra as mulheres

PRB (B) 2018_11_29-5206

A deputada Rosangela Gomes (PRB-RJ), membro da bancada feminina na Câmara, aderiu à Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. “Enquanto três mulheres morrerem todos os dias no Brasil, vítimas de feminicídio, o combate a toda forma de agressão deve ser a nossa maior preocupação”. A mobilização começou em 25 de novembro e vai até 12 de dezembro, data em que foi proclamada a Declaração Universal dos Direitos Humanos

Ao comentar sobre o aumento da violência doméstica no país, a republicana disse que precisamos buscar meios de reverter esses dados alarmantes que abrangem todos os níveis sociais, em todas as regiões do país. “Isso é mais importante do que aumento salarial ou melhorias na saúde, mais do que espaço nas Casas de Lei, mais do que qualquer coisa”, disse.

A Câmara dos Deputados, que também participa da campanha, promove uma agenda especial, com seminários, sessões solenes e oficinas. O Plenário Ulysses Guimarães ainda faz parte da mobilização, apreciando matérias ligadas à pauta feminina. Nesta semana foram aprovados projetos que tratam do aumento da pena para o feminicídio, de punição para divulgação de fotos ou vídeos íntimos e substituição da prisão preventiva por prisão domiciliar de gestantes, mães ou mulheres responsáveis por pessoas com deficiência.

Rosangela comemora a eleição de 77 mulheres, que assumirão mandatos de deputadas e senadoras a partir de janeiro e 2019. Serão 15% das cadeiras da Casa ocupadas por mulheres, em vez dos 10% atuais: “É um momento histórico”. Para ela, esse aumento viabilizará iniciativas que promovam o debate e divulguem as várias formas de violência contra as mulheres. “À medida em que ampliarmos os espaços de debate com a sociedade, seremos ouvidos e teremos a mensagem difundida”.

Saiba mais: Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

A mobilização existe desde 1991, por iniciativa do Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL). Atualmente, cerca de 150 países participam da campanha, incluindo o Brasil que, desde 2003, integra o movimento.

Texto: Fernanda Cunha – Ascom da Liderança do PRB
Foto: Douglas Gomes

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.