Câmara dos Deputados irá debater o compartilhamento de ‘nudes’ na internet

Foi aprovado nesta terça-feira (16), um requerimento de 44664002364_57609008f2_oaudiência pública no âmbito da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados, para discutir ações preventivas contra o compartilhamento de mídias pornográficas envolvendo crianças e adolescentes.

O requerimento nº 27/2019 é de autoria do deputado e presidente da Frente Parlamentar Contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, Roberto Alves (PRB-SP). Ele quer debater o Projeto de Lei nº 1591/2019, que obriga as empresas de telefonia móvel a enviar mensagens a todos os seus clientes, com orientações sobre os perigos ao publicar ou compartilhar ‘nudes’.

O parlamentar também quer envolver as redes sociais nesta mobilização, por meio do Projeto de Lei nº 2185/2019, que também foi apresentado à Câmara dos Deputados.

Nesta audiência pública, o parlamentar sugere a presença de representantes da Polícia Federal, do Ministério Público Federal (MPF), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Secretaria Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente. A data do evento ainda será definida pela comissão.

O deputado Roberto Alves destaca que o compartilhamento de ‘nudes’ vem sendo cada vez mais comum entre os jovens. Dados do Disque 100 apontam que entre janeiro e junho de 2018, foram registradas 198 denúncias de sexting (compartilhamento de conteúdos sexuais de crianças e adolescentes). São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os estados com maior número de casos.

Para ele, as empresas de telefonia móvel e os provedores de redes sociais precisam fazer parte das mobilizações sociais em defesa das crianças e adolescentes, usando a tecnologia para alcançar mais pessoas.

“A prevenção contra o sexting se faz com informação. Precisamos conscientizar a todos, principalmente os jovens, a não produzirem e nem compartilharem conteúdos eróticos ou pornográficos que tenham crianças ou adolescentes. Além de crime, expõe a vítima ao constrangimento e à humilhação “, explicou.

Texto: Ascom do deputado Roberto Alves 
Foto: Ascom do deputado Roberto Alves 

 

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.