Funcionários de empresa contratada da Vale se omitem em CPI

IMG_1283Atendendo ao requerimento de convocação do deputado Roberto Alves (PRB-SP), o engenheiro auditor da empresa TÜV SÜD, Makoto Namba, compareceu à CPI de Brumadinho, na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (23). Ele se manteve em silêncio, um direito assegurado a ele pela Justiça.

Também compareceu o engenheiro da TÜV SÜD André Jum Yassuda, outro que usou do benefício de ficar em silêncio, e a diretora de gestão e qualidade da empresa, Alice Maia, a única que respondeu às perguntas dos parlamentares.

Makoto Namba e André Yassuda estão sendo investigados pela Justiça mineira por serem os responsáveis pelo laudo que atestou a estabilidade da barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, que rompeu no dia 25 de janeiro, matando centenas de pessoas e animais, provocando o segundo maior acidente de trabalho do mundo e o quarto maior e desastre ambiental da história Brasil.

A audiência foi presidida pelo deputado Gilberto Abramo (PRB-MG). O depoimento prestado pelos engenheiros às autoridades mineiras foi lido pelo relator da CPI, deputado Rogério Correia, mesmo assim, Makoto e André não se manifestaram acerca do que foi falado nos autos.

O deputado Roberto Alves demonstrou indignação com o silêncio dos investigados, porque, para ele, a estratégia deles visa prejudicar o andamento da CPI e manchar a imagem da comissão junto a sociedade. “Saibam que o silêncio dos senhores, porém, nos encoraja a ir mais fundo nas investigações, até buscarmos os elementos necessários para apontarmos os verdadeiros responsáveis”, declarou.

O republicano perguntou a Makoto Namba se ele tinha conhecimento das falhas nos sensores de segurança da barragem B1 da Mina Córrego do Feijão e por que assinou o laudo de estabilidade; e se a Vale foi comunicada sobre os riscos de segurança na barragem.

IMG_1383Omissão

A diretora de gestão e qualidade da TÜV SÜD, Alice Maia, afirmou que, em seis anos de trabalho, nunca foi à Brumadinho. Porém, disse ela, as atividades na barragem estavam dentro das regras de compliance da empresa alemã. Compliance é um conjunto de regulamentos internos e externos que definem um padrão ético de uma empresa e de conformidade com as leis.

Alice afirmou ainda que a TÜV SÜD nunca recebeu nenhuma manifestação por parte de seus engenheiros sobre pressões de natureza corporativa, no sentido de forçá-los a assinar documentos com informações inverídicas. “Nunca fomos informados sobre nenhuma anormalidade envolvendo a gestão da barragem em Brumadinho”, declarou ela.

O deputado Roberto Alves criticou a “postura descompromissada” da TÜV SÜD perante as investigações da tragédia em Brumadinho. “Pelas declarações que foram dadas, há uma clara intenção de eximir-se de qualquer fato que ligue à tragédia. Enquanto uns se mantêm em silêncio, outros não sabem de nada”, lamentou.

Texto e fotos: Ascom do deputado Roberto Alves (PRB-SP)

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.