Ossesio Silva propõe medidas para reinserir idosos no mercado de trabalho

Ossesio SilvaO deputado Ossesio Silva (PRB-PE) acredita que existem muitas pessoas acima de 60 anos que não trabalham por falta de oportunidade, mas que desejam e tem condições físicas e intelectuais para isso. O parlamentar é autor do Projeto de Lei 1178/2019, que trata da criação de cotas para a contratação de idosos por empresas com 100 ou mais funcionários, a exemplo do que já existe para pessoas com deficiência.

Na justificativa do projeto, Ossesio fala sobre as mudanças na sociedade brasileira em virtude do aumento crescente da expectativa de vida. “O país tem passado por uma transformação que tem repercutido diretamente em nosso mercado de trabalho. Em pouco tempo teremos uma inversão da pirâmide etária com o número de pessoas com mais de 50 anos superando o número de jovens”, disse.

De acordo com a Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o percentual de pessoas acima dos 60 anos de idade que trabalham tem aumentado, no entanto, a maioria está empregada no mercado informal. O deputado republicano observa que os empresários manifestam interesse nos trabalhadores da terceira idade devido a experiência acumulada ao longo dos anos por esses profissionais.

“A nossa intenção é permitir a permanência dos idosos no mercado de trabalho no momento em que muitos deles vivem o seu auge intelectual. Além do mais, o próprio Estatuto do Idoso prevê a capacitação e a reciclagem como um dos direitos a ser assegurado com prioridade ao idoso”, lembrou o deputado.

O parlamentar reforça que o despreparo desse segmento populacional em acompanhar as novidades tecnológicas dificulta a manutenção do emprego. “Muitas dessas demissões se devem à dificuldade dos idosos em lidar com novas tecnologias”. Por isso, ele propõe que a reabilitação profissional, por meio de cursos de atualização profissional, seja incluída nos Planos de Benefícios da Previdência Social.

Texto: Fernanda Cunha – Ascom Liderança do PRB na Câmara
Foto: Douglas Gomes

 

Comentário(s)

Comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.